terça-feira, 2 de novembro de 2010

Adequando o trabalho ao homem

Ao longo da história, os seres humanos não sofreram tantas modificações, enquanto as
máquinas, os equipamentos e as rotinas de trabalho estão em permanente transformação
com a substituição do trabalho manual por máquinas, computadores e robôs, significando
que o desenvolvimento tecnológico já ultrapassou a capacidade humana de adaptação
tanto física quanto mental.
A preocupação em estudar o homem, seu trabalho, suas capacidades e necessidades,
além das ferramentas, dos equipamentos e o meio ambiente deu origem à Ergonomia,
palavra de origem grega que significa ERGON = trabalho e NOMOS = regras/normas,
significando as leis que regem o trabalho. A Ergonomia surgiu com o homem primitivo, na
medida em que este utilizava utensílios de barro para retirar e acumular água, cozinhar
alimentos e até mesmo quando usava os ossos de grandes animais e lascas de pedras
para o corte e a defesa física.
Desde o seu nascimento, a Ergonomia preocupa-se com a qualidade de vida total do
indivíduo, preservando sua saúde física e mental, e promovendo segurança, conforto e
eficiência. Esta ciência parte do princípio de que todo ser humano é único, ou seja, não se
pode separar o corpo físico do corpo psíquico, pois eles estão a todo o momento
interagindo.

Na percepção ergonômica, todo e qualquer trabalho possui dois componentes: o físico e o
mental, que necessitam de equilíbrio para proporcionar bem-estar e saúde aos
trabalhadores. As pessoas possuem estaturas e constituição física diferentes. Portanto, a
capacidade de suportar sobrecarga física e mental também varia de indivíduo para
indivíduo. Estas características tão distintas devem ser levadas em consideração no
planejamento das tarefas e das condições de trabalho.

É razoável concluir que uma máquina, um equipamento, painel, plataforma, cadeira, mesa
ou ferramenta de trabalho com desenho inadequado e sem permitir ajustes de adequação
para o usuário podem provocar dores lombares, lesões nos músculos, tendões e
articulações.

Por outro lado, a forma como o trabalho é organizado e as relações de trabalho têm
significativos papéis na determinação da saúde mental dos trabalhadores. Os objetivos
práticos da Ergonomia são a segurança e o bem-estar dos trabalhadores no seu
relacionamento com os sistemas produtivos.


Posições de trabalho:

As tarefas que exigem que o trabalhador fique constantemente em pé provocam uma
sobrecarga nas pernas. Estas podem ficar inchadas, pois os músculos não se
movimentam o suficiente para bombear a quantidade adequada de sangue de volta para o
coração. Em conseqüência, aparecem o cansaço e a redução da capacidade de
concentração.
É impossível trabalhar em pé comodamente por muito tempo quando a altura em que as
tarefas são realizadas é inadequada ou quando os controles das máquinas e
equipamentos não estão ao alcance. É necessário que exista bastante espaço para os
pés, para que o trabalhador possa mudar de posição e distribuir alternativamente o peso.
Roupas ou uniformes apertados dificultam os movimentos durante o trabalho, por isso
devem ser evitados.
A altura em que a tarefa é realizada é um fator importante, pois, se esta for incorreta, o
organismo se cansará mais facilmente. A altura deve ser ideal para que o trabalho possa
ser realizado sem que o trabalhador precise curvar as costas e de modo que os ombros
permaneçam relaxados em posição natural.


Quando se trabalha em pé é importante que:
*os objetos necessários à execução da tarefa sejam de fácil alcance
*a altura da bancada esteja ajustada à estatura do trabalhador, de forma que, quando
este estiver em pé, a superfície de trabalho esteja ao nível dos cotovelos, deste modo
ele poderá ficar com as costas eretas e os ombros relaxados,
*o trabalhador fique em uma posição ereta em frente à bancada e próximo dela, com o
peso distribuído igualmente entre as duas pernas;
*a altura da superfície de trabalho seja alterada de acordo com a natureza do trabalho; e
os comandos, tais como as alavancas ou interruptores, estejam em nível mais baixo do
que os ombros;
*a superfície sobre a qual o trabalhador esteja em pé seja adequada e resistente às
condições de trabalho; e
*os calçados sejam adequados, diminuindo a sobrecarga das costas e pernas.
*O ideal é que o trabalhador possa alternar entre as posições sentado e em pé, e inclusive
revezar entre uma tarefa mais sedentária e outra que exija maior movimentação.

Sentado

Durante tarefas que não exigem muita força muscular e que podem ser executadas em
áreas limitadas, o trabalhador deve estar sentado. Toda a área deve estar ao alcance do
trabalhador, sem que ele necessite esticar ou torcer o corpo.


Uma boa postura para quem trabalha sentado é estar próximo da mesa de trabalho, com
as costas eretas.
A mesa e a cadeira devem ser desenhadas de forma que a superfície de trabalho esteja
no mesmo nível dos cotovelos e que a pessoa fique com as costas eretas e os ombros
relaxados.
Ficar sentado o dia todo não faz bem para a saúde e é por isso que deverá haver
variações e alternâncias nas tarefas desenvolvidas para prevenção do sedentarismo.
Para o trabalho de precisão deverá haver apoio ajustável para os cotovelos, antebraços ou
mãos.
Sentado
Durante tarefas que não exigem muita força muscular e que podem ser executadas em
áreas limitadas, o trabalhador deve estar sentado. Toda a área deve estar ao alcance do
trabalhador, sem que ele necessite esticar ou torcer o corpo.

Condições visuais

É essencial que se veja claramente aquilo com que se está trabalhando. A maioria dos
objetos deve ficar a 50 centímetros de distância dos olhos.
No caso de objetos muito pequenos, estes devem ser colocados sobre uma superfície
mais elevada, sendo algumas vezes necessário fazer uso de uma lente de aumento.
as condições da tela ou lente devem ser ajustadas cuidadosamente, de forma a
compatibilizá-las com a visão individual;
a posição da tela e a distância entre esta e os olhos devem ser ajustáveis
individualmente;
a iluminação deve ser adequada ao tipo de trabalho que está sendo realizado para
evitar ofuscamento ou reflexos. Certas atividades exigem uma iluminação
complementar ou especial;
as jornadas de trabalho deverão contar pausas para repouso visual; e
o assento da cadeira de trabalho deverá ter uma altura ajustável, para que cada
pessoa possa trabalhar na posição mais confortável possível.


Levantamento de cargas

O levantamento e o transporte manual de cargas pesadas devem ser evitados, devendo
ser realizados por equipamentos mecânicos.Se isto não for possível, várias pessoas
devem trabalhar juntas, sendo importante que todas utilizem os métodos corretos de
levantamento.
O levantamento de peso deve ser realizado com o auxílio das pernas e não das costas. A
postura correta deve ser com os ombros para trás, as costas arqueadas e os joelhos
dobrados.
Para reduzir o desconforto decorrente do trabalho sentado junto a máquinas ou
terminais de computador, recomenda-se:

O peso deve ser mantido o mais próximo possível do corpo. Para levantar a carga, manter
as costas retas e, aos poucos, esticar as pernas, observando

a carga próxima ao corpo;
os pés separados e o peso do corpo corretamente distribuído;
a carga apoiada nas duas mãos
os joelhos dobrados;
o pescoço e as costas alinhados;
as costas retas e as pernas em movimento de estica

Nenhum comentário:

Seguidores